domingo, 5 de julho de 2015

Arte & Letra e Fotografia com Karam

Para homenagear os 30 anos do início da carreira de Manoel Carlos Karam — escritor, dramaturgo e jornalista que viveu a maior parte de sua vida em Curitiba — a Arte & Letra lançou em junho (2015) o desafio Fotografando Karam, a fim de estender a literatura para o campo visual da fotografia.

Os participantes deveriam enviar uma fotografia livre contendo uma breve defesa relacionando a foto à obra de Karam. No fim seriam escolhidas duas fotos e os vencedores receberiam como prêmio sete livros do autor e uma ecobag personalizada. 

Tive a felicidade de ter minha foto selecionada pelos organizadores! A seguinte foto foi acompanhada da frase "Manoel Carlos Karam costumava dizer que sempre começava a escrever sem saber o fim da história: o que importa é o caminho, a maneira de contá-la, não o destino":

Foto tirada em janeiro de 2015 no Parque Nacional do Iguaçu


Assim, recebi os seguintes livros: O impostor no baile de máscaras (1992), Fontes murmurantes, Cebola (1997), Comendo bolacha maria no dia de são nunca (1999), Pescoço ladeado por parafusos (2001), Algum tempo depois e Meia dúzia de criaturas gritando no palco, sendo os seis primeiros romances e o último contendo peças de teatro. O quarto, quinto e sexto livros foram publicados pela editora Arte & Letra.

Coincidentemente o prêmio chegou no dia do meu aniversário — um ótimo presente. Eu mal conhecia Manoel Carlos Karam. Agora terei a oportunidade de chafurdar em sua obra ímpar, onde o familiar se torna estranho e o autor não hesita em misturar gêneros, criando um texto livre, peculiar e hilariante. 


Eis os livros recebidos =]

Nenhum comentário:

Postar um comentário